quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O SHOW DE HORROR NÃO PODE CONTINUAR


O Presidente eleito Barack Obama, assim como um filme que começa num FLASH FORWARD (cena que revela parcialmente alguma coisa que vai acontecer.); começa a revelar em relação à guerra pessoal que o Estados Unidos da América tem contra o terrorismos as mesmas armas que o Presidente em exercício, George W. Bush vem mostrando. Isso é: muita retórica unilateral e pouca ação positiva que possa trazer acordos bilaterais; e toda essa ação unilateral tomada até hoje, gerou negativamente contra a imagem dos presidentes que sempre tiveram como bandeira a luta contra o terrorismo.

Esses presidentes não aprenderam que o terrorismo tem uma das armas mais preciosa de uma luta, que é o silêncio, que é, o ataque surpresa. Não podemos esquecer que os fundamentalistas, assim, como o Taliban, não trocam seus ideais por carros do ano, ou uma casa na praia, ou mesmo uma viagem com tudo pago a Nova Iorque; mesmo porque, Nova Iorque é a cidade do obscurantismo. Barack Obama perderá a luta se ele começar a sua luta contra o terrorismo com as armas erradas.

É a hora do Estados Unidos da América mostrar para o mundo que toda ação terrorista contra o povo americano ou a outros países fora nada mais que resultado de uma política unilateral. Temos como exemplo claro: a política empregada nos territórios palestinos. O unilateralismo das políticas preiteadas pelo Estados Unidos da América pode ser um incentivo ao terrorismo no mundo. Portando, espero que o Presidente eleito Barack Obama tenha inteligência para não subestimar a inteligência dos fundamentalistas, dos talibans, ou de qualquer outro grupo que muitas vezes pode usar armas sangrentas para reivindicar direitos, mesmo que esses direitos aos olhos do mundo pareçam dogmáticos.

A democracia não pode ser um sistema, vitima, dos interesses de um pragmatismo psicopático. A democracia não pode ser um palco para a manipulação de marionetes. Não se implanta sistema democrático de cima para baixo ou de fora para dentro; os elementos para os países muçulmanos se tornarem democráticos estão no seio da própria sociedade mulçumana. Infelizmente, os hábitos culturais de uma sociedade são a base para a identidade de um individuo, e esses hábitos, tanto, geram negatividade como também coisas positivas; nenhuma sociedade na história da humanidade tornou-se democrática da noite pro dia; não é exterminado o povo Iraquiano ou o povo Palestino, que nascerá uma democracia; nenhuma sociedade no mundo atual é perfeita, culturalmente, para acha que não tem defeitos incontestes. Espero que Barack Obama não seja uma marionete, manipulada, pelo poder psicótico da Casa Branca. Contudo, não quero bis do show de horror que fora o governo Bush.

Nenhum comentário: