sexta-feira, 18 de julho de 2008

OS CLONES DE CHARLES BUKOWSKI



Às vezes me pergunto porque diabo tantos escritores têm a pachorra de escrever livros e mais livros para se tornarem sombras da alma vagabunda do escritor Charles Bukowski. Uns putos tomam uns porres de merda, cheira a merda de um pó malhado, e senta de frente de seus computadores, e passam a chupar a rola de Bukowski, comida pela gonorréia e a sífilis, e após babar a rola de Bukowski, cospe pra todos os lados e diz que acabou de escrever um grande livro.

Conheço pessoas que tem um estilo de vida de merda, uns filhos de puta que mal sabem quem de fato fora Bukowski, pessoas medíocres, que copia um estilo literário e passam a ostentar pose (a famigerada atitude) de escritor; e o pior, é que esses escritores, clones do Bukowski, não sabem mentir, não sabem beber, não cheira um bom pó, e não faz da cirrose um grande livro. Pelos menos Bukowski sabia mentir, sabia beber, e de um cu sujo de uma puta, que ele comia, gozava um livro; às vezes um bom livro; às vezes uma merda de livro. Mas a porra dos livros do Bukowski têm vida, mesmo que uma vida sifilítica, mas têm vida.

Porque a porra destes escritores que têm o Bukowski como referência literária, não deixam a alma do Bukowski em paz, e vão abrir uma ONG ou mesmo bater carteira em ônibus. Por quê ninguém quer escrever como James Joyce? Porque escrever como Joyce é um pé no saco, e dói muito; é uma literatura feita por sádico, em busca de leitores masoquistas. E nesse caso requer estilo, e não atitude babaca. Já a literatura feita pelos clones de Bukowski, é uma literatura feita por uns babacas em busca de excitação barata. A coisa chata destes clones do Bukowski, é que não há renovação de estilo literário. A porra dos editores publicam estes clones de Bukowski, acreditando que estão fazendo um bom negócio, ou talvez estejam lavando dinheiro de máfias, publicando uma merda de uma literatura, que já sabem que não haverá retorno, além, claro, os dividendos da lavagem do dinheiro sujo das máfias. Os vagabundos de hoje serão os velhos babacas do amanhã.

4 comentários:

Jorge disse...

Adu, faltou você citar o nome dos escritores que copiam Bukowski. Posso te ajudar com um nome: Marcelo Mirisola. Mas quais são os outros?Sejam nacionais ou estrangeiros?É fato que Bukowski nem sempre escreveu grandes livros mas os dois volumes de ereções, ejaculações e exibicionismos são de um nível altíssimo de criatividade, excetuando-se a maioria dos contos em que ele fica falando do seu sistema de apostas no jóquei, que são um pé no saco. Bukowski era essencialmente um cara muito criativo mas como ninguém é perfeito, de vez em quando ele escrevia contos ou romances nem tão bons assim.

Jorge disse...

Bukowski era melhor contista do que romancista(e isso eu tenho certeza de que a maioria dos leitores de Bukowski concorda), mas ele escreveu pelo menos um grande Romance: "Misto-Quente", "Mulheres" é um pouco repetitivo, embora tenha alguns bons momentos e "Factotum" é um Romance de bom nível, assim como "Cartas na Rua". Agora, ficar preso ao jeito Bukowski de escrever não é um bom caminho, cada um deve seguir o seu caminho, embora eu ache que deve-se ter um pouco de cuidado ao taxar alguém de sub-Bukowski, afinal usar palavrões é uma velha mania dos brasileiros q aparece com muita frequência no cinema nacional(e é claro q a grande maioria desses cineastas não conhecia Bukowski) e o simples fato de usar palavrões não é critério pra alguém ser considerado imitador de Bukowski, não foi Bukowski que inventou o palavrão.

Guito disse...

é eles são uns merdas
pra minha sorte, sou melhor que o velho buk

jorge lobo disse...

Você considera a escritora Clarah Averbuck como uma sub-Bukowski feminina?Nunca li nada dela, mas o filme "Nome Próprio", dirigido pelo Murilo Salles é muito sub-Bukwowski. Há que se ressaltar que a Clarah rejeitou o filme dizendo que não reconhecia a sua escrita na película. Você também poderia citar o Efraim Medina Reyes como um sub-Bukowski.